15 de setembro de 2019

Reformas só no discurso

A reforma da Previdência deve ser aprovada pelo Congresso Nacional, mas remendada. Não é completa. Mas não deixa de ser um pequeno avanço. Os Estados é que terão dificuldades em fazer a reforma. Vai depender da emenda paralela que esta em tramitação no Senado e que terá de ser aprovada também pela Câmara dos Deputados.

As demais reformas - tributária, política, administrativa ,Judiciário, Ministério Público, entre outras, ficarão apenas nos discursos. Pode ser que a tributária avance um pouco. O problema todo é que ninguém admite perder receita.

A reforma política dificilmente será aprovada. Nenhum parlamentar vai querer aprovar uma reforma que pode lhe tirar votos.Lula e Fernando Henrique Cardoso falaram até em priorizá-la. Ficaram apenas no discurso.

A reforma administrativa, que seria importante para desburocratizar o serviço público, enfrenta o corporativismo. Não irá para frente.

Em relação às reformas do Judiciário para acabar com a sonolência em suas decisões e do Ministério Público para frear alguns abusos, não se fala nelas. Consequentemente, não estão na pauta nem para discussão. Por aí se vê como é difícil ser governo, tendo que enfrentar todos esses problemas.

8 de setembro de 2019

Bilac Pinto como articulador político

Como articulador político do governador Romeu Zema, o secretário de governo, deputado federal Bilac Pinto, terá que conversar muito para dar sustentação política ao Executivo na Assembleia Legislativa.

É que o Legislativo mineiro teve uma grande renovação e Bilac, provavelmente, não conhece bem os novos parlamentares. Mas conhece bem a Casa, já que foi deputado estadual em mais de uma legislatura.

Além disso, Bilac Pinto é um político habilidoso e, com certeza, terá o seu trabalho facilitado pelo  presidente da Assembleia, deputado Agostinho Patrus, que é também muito habilidoso.

Mas a missão de Bilac Pinto vai depender muito do governador Romeu Zema, de seu apoio ao secretário de governo.

As postulações dos parlamentares, em grande número, são legitimas e não estavam sendo atendidas por falta de um diálogo mais estreito do governador com a Assembleia Legislativa. Romeu Zema vai ter que mudar, dando total cobertura ao secretário Bilac Pinto


7 de setembro de 2019

Reforma da Previdência em Minas

Ainda vai demorar a reforma da Previdência em Minas Gerais. Talvez nem se concretize no atual governo.

Vai depender da emenda constitucional paralela que determina a inclusão dos estados e municípios no texto federal.

Só que o relator, senador Tasso Jereissati, determina que a inclusão dos estados e municípios na reforma federal vai depender também de projeto de lei a ser aprovada pelas Assembleias Legislativa.

No caso de Minas Gerais, o governador Romeu Zema terá dificuldade em aprovar o projeto, já que não tem uma sólida maioria. Ele tem sido derrotado em várias propostas.

Além disso, o Legislativo vai ser pressionado pelos servidores para não aprovar as novas regras para aposentadorias. Conclusão: a reforma previdenciária em Minas corre risco de não ser concretizada.

6 de setembro de 2019

Bolsonaro só tem problema

O presidente Jair Bolsonaro não está podendo respirar diante dos problemas que vem enfrentando. Além da facada que sofreu durante a campanha eleitoral em Juiz de Fora e que está completando um ano, Bolsonaro continua convivendo com  problemas de toda ordem.

O caso do vazamento de notícias do jornalista americano envolvendo o ministro Sérgio Moro desgastou Lava Jato e o próprio governo

Agora, são as queimadas na Amazônia que estão intoxicando o presidente, sem se falar nos problemas políticos, já que Bolsonaro ainda não tem uma base de sustentação política no Congresso Nacional.

Até parece que todos esses problemas são orquestrados. É muita coincidência verificar que um problema  está superado hoje  e  no dia seguinte aparece um outro como é o caso das queimadas nas matas da Amazônia. Qual vai ser o próximo?
Ninguém sabe.

Com todos esses problemas, o presidente Jair Bolsonaro ainda terá que fazer nova cirurgia para corrigir os estragos da facada em Juiz de Fora.